segunda-feira, 18 de março de 2013

Chuva

Agora chove aqui dentro.
Não uma chuva de verão,
nem uma tempestade com ventania e medo.
Chove aqui dentro uma chuva fina e lenta,
Escura e gelada. Fina, sim, muito fina e sutil, que
vagarosamente se acumula e sobe, afogando os sorrisos,
alagando os desejos, enregelando a alma.
Uma chuva delicada e suave, dessas que começam sem a gente perceber,
E que continuam, continuam, continuam, até que façam parte de nós.


Lisiane Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário